segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Temperatura a Norte do que sinto

Quantas vezes um rapaz e uma rapariga nunca se entenderam, quantas vezes pensei " Isto é ridiculo "...quantas vezes no meio de 24º graus de temperatura ambiente tive frio e tremi e rangi os dentes. Tudo isto claro, até à relativamente pouco tempo. Apareceu o sol fora de mim, quente e convidativo. Era realmente Verão, bem, ao menos para mim! Disse para mim mesmo :" Por ti serei Cyrano de Bergerac, serei um artista que defenderá esta obra que ambos construimos". Entreguei-me, foi um entregar sentimental, em que peguei numas chaves e dei ao sol...ele não as queimou com seu calor, apenas me queimou a vista para tudo o que estava a seu redor, só para que eu o deslumbrasse...Foi de génio, tirei-lhe o chápeu, contei-lhe piadas, até me ri de coisas parvas que fiz e disse, "Mas que estupides! Bem..mas também só ela ouviu..whatever, estou feliz", pensava eu constantemente. Ela, hmmm, ah, aliás, o sol fez-me subir as escadas do amor, pregou-me uma "rasteira", fez-me tropeçar, e cair no poço do amor, e lá fiquei perdido sem querer mais sair.



Tinha então o meu coração encontrado a luz, e essa luz o segurou...



4 comentários:

  1. Quero qu etenhas uma lembrança minha aqui, para daqui a muitooos anos a veres :)))
    Adorei o texto. Adoro a tua criatividade. A tua loucura.
    Continua a escrever que entretens qualquer um.
    Amo-te

    ResponderEliminar